História de bullying

Esta foi a primeira história enviada por alguém que simpatizou com o conteúdo do blog, embora estejamos felizes com o reconhecimento e confiança em compartilhar, nos entristecemos com a jornada que esta pessoa passou em sua vida, mas estamos no mundo real e o final feliz nem sempre acontece…

Era uma vez um garoto que mudou de cidade. Ele era magro, dentuço, cabeçudo, falava estranho, mas era muito inteligente.

As pessoas viviam fazendo bullyng com ele, inclusive sua própria família. Por muito tempo ele apenas ria junto com todo mundo, até que ele passou a chorar sozinho em seu quarto.

Ele passou grande parte da infância tendo pesadelos terríveis, acordava quase todas as noites com fortes dores de cabeça e precisava tomar medicação pesada para parar, com o tempo precisou tomar remédio controlado e as coisas ficaram ainda piores. Até hoje ele treme bastante quando fica nervoso com alguma coisa.

Seus tios ficavam fazendo brincadeiras inocentes com ele, pegavam em suas partes intimas, mostravam mulheres nuas em revistas e lhe ensinavam as malicias da vida, ele tinha apenas 8 anos.

Quando ele tinha amigos muito próximos o chamavam de bicha, faziam com que ele brigasse com seus amigos através de brincadeiras idiotas ou mentiras.

Ele sempre era colocado em situações de constrangimento. Era apresentado a garotas e tinha que dar um beijinho inocente na bochecha, mas elas sempre o olhavam com desprezo por que ele era muito feio, as pessoas riam, não percebiam como aquilo o afetava.

Sua vida era um martírio sem fim, era como todo dia acordar no inferno. Chegava na escola e tinha que aguentar todo tipo de apelidos. Felizmente seus pais tinham condições de lhe colocar em uma escola particular, então não sofreu tantas agressões físicas nem situações de enfiar o rosto na privada ou coisas do tipo. Mas sabia que se apanhasse na escola apanharia de novo em casa por ser mole. O que eles não percebiam é que o garoto era muito magrinho e não tinha como ganhar dos outros alunos.

Ainda criança foi obrigado a ver um filme porno e ensinado a se masturbar. Mais tarde tivera muitos incentivos para perder sua virgindade em uma casa de prostituição.

Os poucos amigos que ele fazia se tornavam alvos também e estes eventualmente se afastavam dele. Com a falta de convivência social e tanto sofrimento ele foi ficando para trás, não amadureceu e as coisas só foram ficando piores.

Ele não sofria com um pai bêbado ou uma mãe carrasca que o batia sempre, ele até que teve muito amor em casa, mas também teve muita cobrança e excesso de proteção por causa dos seus problemas de saúde.

Quando começou a vida adulta descobriu que tinha um problema grave nos ossos e isso fez com que ele tivesse um grave problema na coluna que o deixou igual um corcunda durante uns anos. Corcunda, magro, dentuço e feio. Ele só queria morrer…

Onde quer que ele fosse, sempre era o alvo das piadas da turma. Sempre era o mais infantil e mais idiota, mas ele era feliz até certo ponto.

Roubava dinheiro em casa para gastar com vídeo game e bobagens pois não aguentava mais a escola, faltava aula sempre que podia.

As pessoas sempre se aproveitavam dele por causa da sua inocência, pediam dinheiro, favores, o enganavam, faziam de trouxa. E essa inocência simplesmente o segui a vida toda.

Não viveu o primeiro amor na escola, não teve a garota do baile e nem a primeira transa ainda jovem adulto.

As garotas viviam o enganando, fazia ele ter esperanças só para conseguir algo em troca ou o utilizavam como fonte de vingança de seus fracassos com outros caras.

Procurou refugio na igreja e só ficou ainda mais pertubado, se sentia impuro, achava que merecia ser punido pelas coisas que fez na vida.

Ele nunca passou fome, ou cede, não foi estuprado ou fortemente machucado, sempre viveu no meio da linha da saúde. Nunca foi totalmente saudável, mas também não era totalmente doente.

Perdeu muitas coisas na vida por causa de pequenos problemas de saúde específicos, pareciam de fato punições pelos seus erros.

Ele simplesmente não sabe como lidar com a sociedade. Por que sua vida foi uma grande bosta? Ele quase não aproveitou nada, se sente culpado por muitas vezes nem ter tentado, mas o que ele podia fazer? As pessoas só o colocavam pra baixo cada vez mais.

Descobriu mais tarde que foi fruto de uma traição do seu pai. Pensava que estava sendo punido das escolhas que fez na vida, que a lei do retorno finalmente viera para lhe julgar dos seus pecados.

Ele nunca foi nem boa pessoa nem má, sempre um pouco dos dois, nunca soube quem realmente era ou queria ser, só foi vivendo a vida cheio de frustrações e arrependimentos.

Hoje ele está sozinho, não tem amigos, está longe da família e continua perdido. Ele mente dizendo que está bem. Não sabe o que fazer da sua patética vida sem sofrimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *